VOCÊ É O VISITANTE Nº

Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

75 ANOS DO TIMBAUBENSE

COLUNISTA ESCREVE SOBRE
OS 75 ANOS DO COLÉGIO TIMBAUBENSE

75 Anos de Sabedoria e Disciplina - Artur de Moura

Nunca um educador fez tanto pela sua cidade, seu estado e seu país como o professor José Mendes da Silva. Se vivo estivesse já estaria com 104 anos e seria pouco para derramar toda esta sabedoria infinita ao longo de um século. Começou na rua Dr. Alcebíades, 223 com o nome de Externato Timbaubense, onde formou em 1937 sua primeira turma de Guarda-Livros, hoje conhecida como Contador. Depois se transformou em Ginásio Timbaubense, mas ainda existia o externato, do qual fui seu aluno honrosamente até o término do ginásio no ano de 1959. Mais tarde mudaria para Colégio Comercial Timbaubense e hoje se firmou como Colégio Timbaubense com aproximadamente 450 alunos, masculinos e femininos.
Falar ou escrever do grande mestre dos mestres de nossa região é muito fácil, difícil é descrever a grandiosidade de sua obra estendida por dois estados, Pernambuco e Paraíba. Um ícone da literatura brasileira condecorado com a Medalha Pernambucana do Mérito, classe ouro, pela passagem de meio século de ensinamentos pertinentes a longa data. Não era só português, mas na falta de qualquer professor ele substituía com esmero e dedicação. Além do mais praticava e ensinava taquigrafia, estenografia e datilografia, técnicas conhecidas da época. Quando participou destes cursos em Recife conseguiu o primeiro lugar absoluto a ponto do professor na época dizer que gostaria muito de ter um aluno aplicado como ele. Jamais vamos encontra um gênio como este.
E ele era um gênio em tudo. Era poeta, compositor, músico arranjador que fazia suas partituras musicais e compôs muitas marchinhas de carnaval,marchinhas estas que estão voltando em nossos carnavais e com grandes sucessos. Em 1952 o
professor José Mendes já falava de informática, dizendo que seria o grande salto da humanidade em aprimoramento e sabedoria. As bandas marciais do colégio quando de sua regência obteve sempre o primeiro lugar em Recife, sendo considerada uma
das melhores do nordeste. Quando foi condecorado com a Medalha do Mérito, o governador Nilo Coelho de Pernambuco veio à Timbaúba especialmente para homenageá-lo na Casa Manoel Borba, Câmara Municipal de Timbaúba.
Não chegou a publicar nenhum livro, mas tinha muitas apostilhas de português, Comercio, gramática, contabilidade e matemática que dariam um livro de conteúdo aplausível e notório. Em disciplina até hoje não vi nem conheci ninguém que tivesse um modo especial, altamente qualificado, como o ato disciplinar do Cabo Zé, como era chamado escondido pelos seus alunos. O respeito e medo chegaram para ficar.
E assim o Colégio Timbaubense avança com passos largos sob o comando de Edna Freire, sua sobrinha e mestre confiável nestes setenta e cinco anos de existência, cuja linha disciplinar permanece inalterada, relembrando os tempos saudosos daquele que andava de fininho para pegar uma travessura de aluno em qualquer parte do colégio, até no recreio. Parabéns Edna pela continuidade e atitudes corretas durante a ausência do grande mestre José Mendes da Silva.

Pode copiar, imprimir e fazer comentários - Isto nos ajuda a avaliar nosso trabalho.

2 comentários:

  1. Vital,

    Parabens pela belissima cronica sobre nosso mestre Zé Mendes. Só assim fiquei sabendo de outras virtudes do Mestre Zé Mendes. Infelismente não pude comparecer a esse fato tão grandioso em virtude da vinda de meu filho do Rio de Janeiro esse final de semana. Reforço meus parabens a Edna Freire por estar dando continuidade ao nosso querido Colegio Timbaubense. Vale salientar que Edna Freire já estar a mais tempo no poder que o Mestre Zé Mendes.

    abç,
    Tranquelino Monteiro

    ResponderExcluir
  2. Gostaria de retificar meu comentário o qual fiz referenci a Vital e na verdade quem escreveu a crônica foi Dr. Artur de Moura (Mourinha Apolinário). Minha atrapalhada se deu pelo fato de ter lido no rodapé a frase: "Postado por Vital Bertino às 19:18"

    Minhas desculpas por essa minha falha corrigida a tempo.

    abç,
    Tranquelino Monteiro

    ResponderExcluir