VOCÊ É O VISITANTE Nº

Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Pernambuco conhece os novos Pontos de Cultura

.
.

Ferreiros, Nazará da Mata, Macaparana, aliança, entre outras, foram contempladas. Timbaúba ficou de fora.

Articulação da Fundarpe com MinC ampliou em mais 50 o número de grupos e
entidades culturais que receberão, durante três anos, repasse anual de R$ 60 mil

A partir desta sexta-feira (4), a Rede Pernambucana de Pontos de Cultura (Rede.PE), que contava com 116 grupos, ganhará mais 50 entidades associadas, vencedoras da segunda fase do 1º Concurso de Seleção para a Implementação de Pontos de Cultura do Estado. Tanto o edital – que previa anteriormente contemplar 40 projetos – como a ampliação do número previsto foram resultado da parceria entre a Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) e a Representação Regional Nordeste do Ministério da Cultura (RRNE/MinC). Os projetos aprovados receberão o repasse anual de R$ 60 mil, num período de três anos, para desenvolvimento de atividades ligadas à cultura. Outro ganho para Pernambuco foi a garantia de distribuição dos projetos conveniados pelas 12 Regiões de Desenvolvimento (RDs).

A iniciativa é um reflexo da política de interiorização das ações de cultura nas 12 RDs, desenvolvida pelo Governo de Pernambuco, por meio da Fundarpe, desde o início da atual gestão. Em 2009, foram conveniados 80 Pontos de Cultura e, neste segundo momento, serão investidos no triênio mais R$ 9 milhões para subsidiar as ações dos 50 novos grupos. Outros 36 grupos já têm convênio firmado diretamente com o Governo Federal.

Dos 50 novos convênios, o Sertão foi a região com o maior número de projetos, sendo conveniados 22 novos Pontos. Em seguida, veio o Agreste com 11 projetos contemplados. Na Zona da Mata, foram contempladas 10 iniciativas. A Região Metropolitana do Recife, que concentra o maior número de Pontos de Cultura, ficou com sete novos convênios. O montante que será recebido por cada projeto (R$ 180 mil) será divido em três parcelas anuais que deverão ser destinadas à manutenção e ao registro de projetos culturais realizados em cada localidade.

AÇÕES INTEGRADAS – Organismos vitais para a construção e manutenção de uma política pública para o setor, os Pontos de Cultura têm, em Pernambuco, um papel importantíssimo na consolidação das ações governamentais. Por meio deles, a Fundarpe vem modificando a realidade de diversas comunidades vítimas da violência. “Os Pontos de Cultura integram as ações do setor no Pacto pela Vida, programa de governo que visa reduzir os índices de violência no Estado. São oficinas, aulas-espetáculos e troca de experiências, principalmente com estudantes da Rede Pública de Ensino. Já começamos a ver os resultados nesses três anos e meio”, conta Luciana Azevedo, presidente da Fundarpe, referindo-se a queda no número de homicídios nessas localidades.

MAIS CULTURA – Os Pontos de Cultura, juntamente com outras 13 ações, compõem o Programa Mais Cultura, que integra a Agenda Social do Governo Federal. A ação é direcionada, preferencialmente, à população de baixa renda, especialmente jovens das classes C, D e E, que residem nos Territórios da Cidadania e nas áreas atendidas pelo Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci). Suas iniciativas envolvem a comunidade em atividades ligadas à arte, educação, cidadania e economia solidária. Em todo o País, existem mais de 1,5 mil Pontos de Cultura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário